O Método 5 Minutos de Mano Suave aplicado a diferentes níveis na equitação PT

This entry is part 15 of 29 in the series Misión re-posicionamiento a caballo

Ir al post en Castellano IM_Bandera España

Um fim de semana de visita em La Bruguera é sempre um prazer. Chegar esse  paraíso com a sua gente sempre disposta a tudo e ainda por cima fazer um workshop com alunos que têm ou estão a adquirir uma boa base a nível de posição, equilibrio e equitação em geral…que mais podemos pedir?

Neste post, falaremos do trabalho feito com duas alunas diferentes, Anna que está a montar em La Bruguera há pouco tempo, e Fiona que está a trabalhar com Paz de Delás desde pequena. Falaremos do trabalho que fizemos nas poucas horas que não esteve a chover. Com a Fiona trabalhamos dois días e com Anna, um.

IM_PUB_La_Bruguera01

>>Anna:

O problema:

• Perna inestável e sentia que puxava das rêdeas em momentos cruciais de dificuldade.

• Nas transições a menos não era capaz de se concentrar, sentindo que estava aos saltos no arreio, desorganizava-se e demorava muito tempo a pôr o cavalo a passo. Perdia a concentração, o cavalo que montou era muito grande, cansava-se muito mais e magoava a boca do cavalo ao puxar para atrás para parar.

• Pensava em muitas coisas ao mesmo tempo e, devido a alguma desconcentração por estar sempre pendente do seu equilibro, costava-lhe seguir um plano concreto e agir depois de pensar.

 O que fizemos:

Praticamos um exercício imprescindivel do Método 5 Minutos de Mão Suave e em quatro ou cinco minutos adquiriu o equilibro no lugar certo do arreio, o que depois permitiu trabalhar nos três andamentos com transições a mais e a menos.

Corrigimos as transições a menos, onde puxava para trás para parar ao cavalo e deixou de estar incómoda durante esses momentos.

Aprendemos a relaxar os nossos cotovelos e a ceder quando o cavalo estava a ir bem e aprendemos a tomar consciência de que temos de planificar na nossa cabeça o que vamos fazer, para deixar de pensar no que estamos a fazer bem ou mal. Teremos de deixar o que fazemos bem ou mal ao nosso professor. No caso de Anna, a Paz é uma professora especializada na disciplina de salto, muito competente e preocupada em melhorar todos os días, pelo que tem de  haver confiança absoluta no seu trabalho. Quando estamos a aprender ou a tentar levar a sério algum desporto, não podemos estar pendentes de pensar no que estamos a fazer bem ou mal. Para isso está o professor que é muito mais objetivo que nós nesses momentos. Temos de nos centrar no que temos de fazer o segundo seguinte e ir corrigindo o que o nosso professor nos está a dizer para corrigir.

Um pouco do resultado e a opinião de Anna sobre o que sentiu:

 

>>Fiona:

Problema da égua:

• Perde amplitude na passada de galope para os saltos, fazendo que Fiona perca a noção da distância ao salto

• Tende a trabalhar sobre as espáduas, sofrendo as consequências entre as combinações de saltos

Problema de Fiona:

• Ansiedade na linha do salto precisamente porque muitas vezes não consegue sentir a distância que lhe falta para a chegada ao mesmo.

• Falta de eficâcia no assento (a pesar de ter uma posição muito boa) para “sentar” a égua sobre os posteriores e procurar a cadência da passada nos círculos. Isto faz com que depois, no trabalho para o salto, a égua ponha todo o peso sobre a espádua de dentro na volta para os saltos.

• Como a égua tabalha sobre as espáduas, os pés saem por trás subindo a garupa. Isto faz que se ponha muito incómoda para a Fiona, repercutindo na sua coluna provocando dores. Ao não conseguir pôr a égua cómoda no trabalho, perde também capacidade de reação nos momentos chave.

Virtudes da égua Zest:

• Muito franca e capaz de saltar grande sem muito esforço

• Bom dorso nos saltos, mesmo que perca a ligação entre pés e mãos na linha do salto e fique com o andamento precipitado.

• Muito boa cabeça e base de trabalho

Virtudes de Fiona:

• Está muito bem equilibrada no arreio

• Conhcece a forma de utilizar a mão a pesar de ter dificuldades em gerir a retitude da égua

• Tem muito boa base de equitação, é flexível e tem o tato equestre bastante desenvolvido

• No dia-a-dia estão em muito boas mãos tanto a amazona como a égua

Trabalho que fizemos:

Primeiro dia de trabalho:

Objetivo: Ensinar à Fiona a carregar o peso da égua nos posteriores utilizando o círculo e ensinar à égua a responder à ação das costas da sua amazona e uma vez carregada, sair redonda ampliando a passada sem precipitar e mantendo a cadencia até às varas no chão.

Sugestão da sua professora especializada em saltos, Paz: Fazer o mesmo trabalho e seguir até uns saltos baixinhos.

Trabalho feito:

Exercício avançado utilizando o Método 5 Minutos de Mão Suave combinado com o trabalho sobre varas e depois com saltos pequenos recomendados pela professora habitual.

Opinião de Fiona sobre o primeiro dia:

Sentí a égua redonda e cómoda para as varas e os saltos. Conseguí sentir a diferença entre a égua quando vai precipitada na entrada/saida do círculo e a égua redonda.

Tempo de trabalho : 50 minutos aproximadamente

Segundo dia de trabalho

Como no dia anterior trabalhamos com o objetivo de carregar o peso sobre os posteriores e a coordinação das ajudas de Fiona ao alagrar e encurtar a passada, no segundo dia trabalhamos sobre suspensão, mais exercícios avançados do Método.

Aproveitamos o equilibro ganado no dia anterior, para ampliar a passada de galope pasando varas no chão aos três andamentos, combinado como o exercício de carregar o peso do dia anterior.

Aprendemos a trabalhar sobre as varas com as rêdeas soltas e curtas, ganando a noção, muitas vezes involuntária da nossa mão e vendo a diferença entre a chegada às varas nas duas situações.

Aprendemos a equilibrarnos em suspensão ao trote sobre as varas.

Finalizamos o trabalho com outro dos exercícios avançados, em círculo, direcionado ao equilibro, posição e contraposição da égua, a cadencia, estirar o pescoço sem tirar o pés por tras, deixando a égua solta e flexível para o trabalho de salto do dia seguinte com a sua professora habitual.

Conclusões da amazona:

A égua ficou muito cómoda. Sentí a diferença entre a égua carregada atrás e com a cabeça em posição natural a pesar de trabalhar com uma embocadura mais forte, e a égua encapotada e incômoda. O mesmo aconteceu ao deixar estender o pescoço, uma vez carregada atrás”.

Se está interesado em montar um fim de semana comigo, ou lhe apetece juntar um grupo mínimo de 4 alunos ou amigos cavaleiros, e máximo 7, para montar comigo um fim de semana, entre em contacto connosco pelo seguinte formulario. Enviaremos toda a informação que precisar.

 

Series Navigation<< La equitación y las emociones de nuestros profesoresVer diferencias: Caballo cuello largo encapotado y caballo cargado atrás con el cuello largo >>

One thought on “O Método 5 Minutos de Mano Suave aplicado a diferentes níveis na equitação PT

  1. Pingback: El Método 5 Minutos de Mano Suave aplicado a diferentes niveles ESP | EquierroresBlog

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *